Leis da Biblioteconomia

         Saudações Biblioteconômicas!!


      Esta pagina tem por objetivo apresentar as 5 Leis que regem a Biblioteconomia.

       As cinco leis da Biblioteconomia são os princípios elaborados pelo Bibliotecário indiano Ranganathan, que nasceu em 9 de agosto de 1892, em Shialy.
     Shialy Ramamrita Ranganathan era professor de Matemática e preocupava-se bastante com a questão do ensino e pesquisa na Índia. Em decorrência desta preocupava, ele criou uma campanha com o intuito de aprimorar as condições da biblioteca da Universidade de Madras.
     Em 1924, Ranganathan ocupou a vaga de Bibliotecário e ingressou na Escola de Biblioteconomia, em Londres para cursar especialização.
     Em 1928, Ranganathan encontrou-se com seu antigo professor de Matemática e expôs a ele suas precupações com relação aos princípios biblioteconômicos. A partir deste encontro, as cinco leis da Biblioteconomia foram criadas e, em 1931 Ranganathan publicou sua primeira edição do Livro "As Cinco Leis da Biblioteconomia", que servem até hoje como base para as atividades biblioteconômicas.
     Sendo assim, vamos às leis:

      1) Os livros são para serem usados
 
       Não há motivo algum da biblioteca existir se os usuários não puderem utilizar os livros. A primeira lei de Ranganathan aborda a importância da disponibilização da informação. É preciso que o Bibliotecário organize as informações, disponibilizando e disseminando o conhecimento para aqueles que vem à unidade de informação em busca do saber. A função primordial da biblioteca é o compartilhamento e não somente a guarda da informação.